right_side

Seguidores

Mais borrifados

hipocrisia (26) Mallu Magalhães (24) brasil (15) São Paulo (13) futebol (11) globo (11) música (8) política (8) PT (6) Rede Globo (6) Rodolover (6) lula (6) malandragem (6) Olimpíadas (5) Rodolover posta aí (5) SPFC (5) corinthians (5) trânsito (5) Abercrombie and Fitch (4) Rodolover o borrifador turista (4) Subcelebridade (4) arte (4) brasileiros (4) che guevara (4) chico buarque (4) cult (4) educação (4) juventude (4) modismo (4) movimento homossexual (4) obama (4) politicamente correto (4) rodolover sumiu daqui (4) rodoponey vo te dar uma porrada (4) 3d (3) Big Brother Brasil (3) MTV (3) Rio de Janeiro (3) Rodolover Agora é espanhol? (3) Rodolover some daqui (3) Toca Raul (3) balada (3) bbb (3) borrifada (3) borrifadinhas (3) brasileiro (3) carnaval (3) cinema (3) esquerdistas (3) gosto música (3) grandes eventos (3) leis (3) los hermanos (3) marketing (3) modinha (3) paulista (3) rodolover to postando (3) rodoponoy some daqui (3) romário (3) shopping (3) sustentabilidade (3) Amy Winehouse (2) Anti-social (2) Dilma (2) Direita (2) Eleições 2014 (2) Esquerda (2) Exército (2) Formula 1 (2) Gloria do Desporto Nacional (2) Inclusão digital (2) Indy (2) MPB (2) Mallu Magalhaes (2) Metallica (2) Michael Jackson (2) Muricy Ramalho (2) Mussum (2) Natal (2) Nelson Piquet (2) NxZero (2) ONGs (2) Olimpíadas 2016 (2) Pink Floyd (2) Politcos (2) Rico (2) Rio (2) Rock (2) Rododrunk (2) Rodolover vai pra Espanha virar Pederasta? (2) Rogério Ceni (2) Rubinho (2) São Paulo FC (2) academia (2) amor (2) ano novo (2) backstreet boys (2) big brother (2) blog (2) bolados de rave (2) burocracia (2) caetano veloso (2) chatice (2) corrupção (2) crise (2) críticos (2) democracia (2) dinâmica de grupo (2) espero que o São Paulo se recupere no Brasileiro (2) essência (2) facebook (2) falsidade (2) força sindical (2) férias (2) gaúcho (2) geração (2) globo.com (2) gordas (2) jazz (2) jeitinho (2) jovens (2) justiça (2) malandros (2) medo (2) mentira (2) moda (2) morumbi (2) mulheres feias (2) mulheres frescas (2) musica ruim (2) naturebas (2) nova geração (2) novela (2) orkut (2) palmeiras (2) periferia (2) playba (2) populismo (2) povo (2) proibição (2) protestos (2) rolezinhos (2) rádio (2) samba (2) sertanejo (2) tecnologia (2) trabalho (2) turismo (2) wwf (2) Ética (2) índia (2) #VaiTerCopa (1) 1000 (1) 17 e mais (1) 2013 (1) 2014 (1) 3G (1) 500 (1) Aquecimento Global (1) Astro (1) Banda Gloria (1) Barrichello (1) Belo Horizonte (1) Beyoncé (1) Billy (1) Black Dog (1) Bohemian Rhapsody (1) Bono vox (1) Brawn GP (1) Brazil (1) Britiain's got talent (1) Bronze (1) CUT (1) Cacildis (1) Camargo Correa (1) Canadá (1) Cansei de Ser Sexy (1) Charlie Brown Jr. (1) Clodovil (1) Clássico (1) Coca-cola (1) Colírios da Capricho (1) Conspiração (1) Copa do Mundo 2014 (1) Daiane dos Santos (1) David after dentist (1) Debate Bola (1) Demônios da Garoa (1) Desenho (1) Desorganização (1) Detroit Rock City (1) Diego Hipólyto (1) Diogo Mainardi (1) Diáspora Romana (1) Dona Zuleica é o nome da Mãe do Popó (1) Doug Funnie (1) Doug Funnie bixa (1) ENADE (1) El Salvador (1) Engenhão (1) Estados Unidos (1) Exclusão social (1) Fake (1) Felipe Massa (1) Folha Online (1) Fora Sarney (1) França (1) Fresno (1) Galvão Bueno (1) Gene Simmons (1) Gilberto Gil (1) Gostosas da Globo dão a bunda sem pudor (1) Grunge (1) Heavy Metal (1) Hermes e Renato (1) Holanda (1) Inglaterra (1) JK iguatemi (1) Jacarés (1) Jack Johnson (1) Jean Willys (1) Jennifer Aniston (1) Jeremias (1) Jesus Luz (1) John Mayer (1) Jon Lord (1) Juca Ferreira (1) Justin Bieber (1) Keisha (1) Kiss (1) Kurt Cobain (1) Lei Rouanet (1) Lei Seca (1) Licitações (1) Linhares (1) Lobão (1) Locaweb (1) Lotus (1) Luciano Huck (1) Luiz Felipe Pondé (1) MS-DOS (1) MSN (1) Madonna (1) Mais Médicos (1) Mamonas Assassinas (1) Manaus (1) Marcos (1) Meio-ambiente (1) Merda (1) Mestre Tele (1) Mexicanos são feios (1) Michael Moore (1) Michel Teló (1) Movimento Passe Livre (1) Mudhoney (1) Museum (1) Myspace (1) Nacionalismo (1) Nana Gouvêa (1) Nelson Priquet (1) Nevermind (1) Nirvana (1) O talentoso Ripley (1) PSOL (1) Pacha (1) Pan 2007 (1) Parabéns Lorena (1) Parangolé (1) Paris (1) Paul Stanley (1) Pearl Jam (1) Pedro Bial (1) Perua (1) Políca Federal (1) Putaria (1) Pânico na TV (1) Quadrinhos (1) Rebolation (1) Rei do Pop (1) Ricardo Gomes (1) Rock Progressivo (1) Rodolover sai pra lá (1) Rodolover vai embora (1) Rodolover voltando (1) Rodolover volte a escrever! (1) Rodonasty e as russas (1) Rogério (1) Ronaldinho Gaúcho (1) Ronaldo (1) Rubinho Barrichelle (1) SUS (1) SWU (1) Selton Mello (1) Show me your genitals (1) Sicko (1) Simonal (1) Sintetizador (1) Snack Culture (1) Susan Boyle (1) TI (1) Tempo (1) Tenho amigos putanheiros (1) Tupiniquim (1) Twitter (1) Uniban (1) Urso polar (1) Usain Bolt (1) VMB (1) Vice (1) Victor Fasano (1) Virada Cultura (1) Wikipedia (1) World Cup (1) Xuxa (1) YouTube (1) Zeca Camargo (1) aba reta (1) acessibilidade (1) administradores (1) aeroporto (1) agência (1) alcool (1) animais (1) aniversário (1) ansiedade (1) aperto (1) artistas subestimados (1) asas (1) avião (1) bacon (1) banalização (1) bananas (1) bang (1) bebado (1) bebês (1) bla (1) blasé (1) blogueiros (1) bob marley (1) bolsa família (1) bolívia (1) borrifada maluca (1) borrifador ausente (1) borrifadores (1) borrifando (1) botafogo (1) branding (1) brega (1) briguinha (1) buffet (1) cantoras (1) caos (1) capitalismo (1) capitão nascimento (1) carioca (1) carro (1) carroceiros (1) casper (1) celebridades (1) chilli beans (1) chocolover (1) cigarro (1) classe (1) clichês (1) coca (1) coldplay (1) coletividade (1) combie (1) comunicação (1) condescendência (1) contigo (1) contradição (1) copa do mundo (1) cotidiano (1) crianças (1) crítica (1) culpados (1) death magnetic (1) deputado (1) desenvolvimento sustentável (1) diego alemão (1) dinheiro (1) dionisio (1) direitos (1) discos voadores (1) discurso vazio (1) dislexia (1) divulgação (1) drogas (1) eco 92 (1) ecochato (1) edmundo (1) egoísmo (1) elite (1) emburrece (1) emissora (1) emos (1) empregada (1) entretenimento (1) espetáculo (1) espm (1) estilista (1) estética (1) evo (1) exposição (1) extremismo (1) faap (1) fabio porchat (1) falta de classe (1) falta de paciência (1) favela (1) figurinhas (1) fim de ano (1) flamengo (1) flanelinhas (1) fluminense (1) formaturas (1) frase do Senna (1) funk (1) futebol americano (1) gal costa (1) games (1) gay (1) geeks (1) geleiras (1) google (1) grafite (1) greenpeace (1) gringos (1) gugu (1) gv (1) healthcare (1) helloween (1) hipsters (1) história (1) homer (1) homofobia (1) honda (1) humor (1) hype (1) id (1) igualdade (1) impunidade (1) incentivo fiscal (1) incompetência (1) individuaismo (1) industria fonográfica (1) informação (1) injustiça social (1) inovação tecnológica (1) internet (1) iron maiden (1) irresponsabilidade (1) irritação (1) joel (1) jon e kate + 8 (1) jovem pan (1) juliana paes (1) juscelino (1) katilce (1) king curtis (1) leci brandão (1) legado (1) lemmy (1) lepo lepo (1) liberdade de expressão (1) limitação mental (1) lindos são os passarinhos (1) live 8 (1) live aid (1) livros da fuvest (1) logos (1) loiras (1) loudness war (1) lula vieira (1) luxemburgo (1) mackenzie (1) macunaíma (1) maioria (1) mal humor (1) manifestações (1) marcelo dourado (1) marcelo tas (1) marimoon (1) mau humor (1) maus politicos (1) maísa (1) meirelles (1) melhor do Brasil é o brasileiro (1) melhores posts (1) mesmice (1) metrô (1) mondo entretenimento (1) monty phyton (1) morre (1) motorhead (1) mudar (1) musculação (1) musica boa (1) mãozinha (1) nardoni (1) natural step (1) neo-liberalismo (1) nerds (1) netinho (1) nostalgia (1) nyt (1) pablo (1) padrão de beleza (1) pais bundões (1) palhaçada (1) panda (1) paris hilton (1) patriotismo (1) paulistas (1) pc do b (1) pelé (1) pena sentimento pior (1) pessoas efusivas (1) phil barros (1) pobreza (1) poesia (1) polícia (1) ponte estaiada (1) português (1) posers (1) preconceito (1) premiação (1) promessas (1) protesto (1) psirico (1) publicidade (1) puc (1) punheta (1) qualidade (1) rabo (1) racismo (1) radiohead (1) reality show (1) record (1) red bull (1) reformulação (1) reggae (1) relacionamento (1) religiao (1) religião (1) repórteres folgados (1) respeito (1) rivalidade (1) robei o dia de alguém porque eu devia ter postado ontem (1) roberts (1) rodízio (1) roupas (1) ruas (1) saco (1) santa (1) sassaricar (1) saúde (1) selos (1) sem partido (1) semana (1) senso de humor (1) sentimentos (1) separatismo (1) serginho groisman (1) sexo oral (1) shows (1) silêncio (1) sistema de saúde (1) some daqui. (1) sos mata atlântica (1) status (1) stress (1) subúrbio (1) sucesso (1) sujeira (1) super legais (1) surf (1) telemarketing (1) torcida (1) track and field (1) transporte público (1) troca (1) tropa de elite (1) truculência (1) tráfico (1) universidades (1) vagabunda (1) vasco (1) velocidade (1) venda de CDs (1) verdade absoluta (1) vida (1) vinhos (1) violência (1) vôo (1) war (1) whatsapp (1) workshop (1) xixi no banho (1) zanola (1)

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

A ditadura da falta de opção

Volto a escrever neste espaço depois de quase cinco anos de hiato. A ideia é resgatar esta página com o propósito dela: o de falar o que pensamos, a verdade, sem hipocrisia, doe a quem doer. Borrifando em quem merece.

Durante estes quase cinco anos, além de aprendizados, trocamos de presidente, mas mantivemos a agenda e o partido. Acho a democracia uma verdadeira conquista deste país e sou a favor dela, o poder do povo escolher e de tentar ser feliz.

O que acho realmente preocupante é o fato desta presidente ser, sem dúvidas alguma, o pior líder que este país teve desde a queda do Collor. Sei que somos uma jovem democracia e por isso mesmo não temos um histórico comparativo muito significativo nesta retomada democrática. Passaram pelo planalto escolhidos pelo povo apenas Fernando Collor de Mello, Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. São poucos exemplos para país tão vasto e complexo.

Mas mesmo sem muita base para comparação, é claro e triste que o país não tem nenhuma direção clara. E mesmo sem nenhum direcionamento, as contas públicas estão no seu mais alto nível de gastos na história. A máquina pública atual é sem dúvidas a mais inflada e ineficiente que já presenciamos.  A iniciativa privada e os contribuintes estão pagando o maior montante de impostos para bancar esta máquina pesada, gordurosa e ineficiente, como mostrou na semana passada o impostômetro instalado no centro de São Paulo. (Ver http://congressoemfoco.uol.com.br/opiniao/colunistas/impostometro-bate-novo-recorde-em-2013/)


Mas por que ineficiente?
Basicamente porque o país simplesmente parou no tempo desde que Rousseff assumiu o poder e continua parado. Não vemos nenhuma agenda política que faça sentido ou que atenda algum direcionamento claro. Não houve avanços ou melhoras significativas na infraestrutura, saúde ou educação, claramente áreas chaves que precisam ser mudadas no Brasil.
Os avanços nestas áreas fundamentais foram nulos e, pior, em alguns casos a situação está ainda pior. É um velho clichê ouvir que se você não tem um plano de saúde ou escola privados, está em maus lençóis. Mas é a pura verdade. Acompanho na imprensa sobre a situação da saúde e os fatos são vergonhosos. Hospitais lotados, pessoas morrendo nas filas, desperdício de dinheiro público (Ver http://oabce.org.br/2013/08/29/artigo-crise-na-saude-publica/). Absolutamente não houve avanço nesta área, que já é uma vergonha faz muito tempo. O que revolta é termos ministérios e máquina pública tão inchados, com níveis de arrecadação recordes e, mesmo assim, recebemos serviços cada vez mais desumanos. Lógico que estes ministérios estão sempre sob responsabilidade de políticos aliados ao governo.
Vale lembrar que o governo federal responde por mais de 60% da arrecadação e repassa verbas a estados e municípios conforme sua estratégia de governo, isto põe boa parte da culpa de gestão no governo federal, embora as esferas estaduais e municipais estejam longe de serem ótimos exemplos de gestão pública.



Outro ponto negativo que chancela a péssima gestão da nossa “presidenta” é que nenhuma reforma foi feita mesmo com a oposição estando, dia após dia, mais enfraquecida. Vale lembrar que tal gestão já teve doze anos para realizar as reformas fundamentais para o país, mas parece que nunca teve interesse em se mexer para que elas saíssem dos corredores de Brasília. Enquanto isso, temos um sistema tributário, político e agrário caóticos que ajudam a levar o país a ser um dos mais ineficientes do mundo.



Ok, vamos recapitular... Infraestrutura, saúde e educação estagnados. Até conquistas mais duradouras como estabilidade econômica, crescimento e inflação que vieram desde o tempo do plano real, em meados dos anos 90, estão ameaçados. Ou será que alguém do mercado financeiro ou do empresariado ainda acredita em alguma palavra do excelentíssimo ministro Guido Mantega? O fato é que o bonde dos investimentos e aquela euforia sobre “a hora do Brasil” parece ter passado, porque basicamente o mundo está se recuperando e claro, o dinheiro migra para outros lugares com investimentos e retornos mais atrativos.
E olha que tivemos tempo para poder desenvolver setores importantes para o país não ser tão dependente de vender commodities para a China.


O triste é saber que mesmo com todo este contexto, o atual governo Dilma galopa com vantagem gordurosa para vencer as próximas eleições. É algo realmente inacreditável e triste. Mas eles são muito competentes em autopromoção e em usar a máquina pública para garantir visibilidade e manter os votos contanto meias verdades ou criando um país de mentira, que simplesmente não existe. Se o Brasil estivesse de fato avançando, se o projeto da “nova classe média” estivesse realmente dando certo, acho que não teríamos esses índices de violência tão doentios. É um sinal que algo está realmente indo muito mal.



Repito, o país está perdido, sem direção. Tão perdido que a maior bandeira da campanha de Dilma para a reeleição é o programa “Mais Médicos”, que nada mais é que um plano emergencial aprovado às pressas por causa das manifestações de junho do ano passado. Este “plano emergencial” é um dos pilares para a reeleição! 

Cadê o plano de gestão e a direção que deveríamos estar vendo desde 2011?

O pior mesmo é que vivemos numa certa ditadura, velada claro, de esquerda, onde o simples fato de contestar este governo e suas “conquistas”, que leio mais como uma desastrada gestão, é ser considerado “reaça”, conservador, hipócrita, elitista, boçal, burro, antiquado... Isso só para listar o que já ouvi deste povo.  Falam isso como esta forma de gestão fosse a única eficiente para distribuir renda entre os menos favorecidos e gerar riqueza. E tenho certeza que não é.


E é neste último ponto que intitulo meu texto e o que mais me preocupa. Falta quem conteste, falta quem fale. Falta uma agenda que seja mais inteligente e exequível do que a atual.  Está na hora de termos uma oposição mais contundente, contestadora e, por que não, barulhenta. Que mexa nesta ordem e questione a opinião pública. 
Se a atual gestão desgovernada vencer novamente, estaremos indo para um caminho muito perigoso. Rumamos para virarmos mais Caracas do que um país de “classe média”, como o próprio governo atual insiste em nos enganar dia sim, dia sim.


4 Comentários:

Caramistério disse...

Será que a democracia é a melhor forma de elegermos os líderes? Não estou falando sobre "justiça", mas sim sobre eficácia. Já me questionei isso diversas vezes, uma vez que têm o mesmo peso do voto aquele que estudou e sonha com um futuro melhor para o longo prazo, daquele que ganhou do governo uma caixinha de natal para a compra de cachaça e cigarros.

Anônimo disse...

Reaça!

Diogo Petrescu disse...

Mostra a cara, bundão! Mostre seus argumentos.

Paulo Dragocinovic disse...

Caramistério, uma vez já escrevi aqui mesmo nesse blog. No Brasil a "democracia" só existe desde que não possamos questionar a "democracia". Há um erro muito grande nisso aqui! Eu fico enojado com pessoas que falam da revista VEJA como Satanás. É muito bom ver um novo texto aqui nesse espaço Diogo. Em breve tem mais.

Abs!

Postar um comentário